Este é um tema recorrente e sobre o qual todos os pais acabam por refletir. Usar ou não sapatos, quando começar, que tipo de sapatos comprar? O pé é uma estrutura muito importante na nossa postura, é um dos nossos principais captores de informação.

A exploração dos pés, o reconhecimento do pé como parte do seu corpo é fundamental ao desenvolvimento motor. O bebé começa a conhecer este mundo, que é o seu habitáculo, e a perceber como o pode utilizar nos seus projetos de exploração. Pelos 5 meses começa a segurar os pés e até a colocá-los na boca.

Noutros tempos a correção dos pés passava muito pelo uso de botas ortopédicas, pela contenção, limitação do movimento dos pés. Chegou-se à conclusão de que esta estratégia não seria a mais eficaz em pés sem patologia grave, para além de os tornar mais rígidos e não favorecer a propriocepção (noção do corpo no espaço), o equilíbrio, a força da musculatura intrínseca e do pé. Queremos pés elásticos e adaptados ao meio, que vão progressivamente adquirir as suas curvaturas fisiológicas.

O sapato pode atrasar a integração dos reflexos primitivos do pé, nomeadamente a flexão plantar (como na mão, o pé “fecha-se”, os dedos enrolam-se quando estimulada a planta). Muitos bebés, quando calçados precocemente, ficam com os dedos enrolados dentro dos sapatos. Usar ou não sapatos? O sapato tem essencialmente uma função de proteção, térmica e da pele em terrenos mais abrasivos (em comunidades tribais as pessoas andam descalças e o pé adquiriu características adaptativas, nomeadamente uma pele mais dura que não se fere com pedrinhas ou paus do caminho). De qualquer forma, dentro de casa, a questão do solo abrasivo não se coloca pelo que, tirando pela questão térmica, não há necessidade de utilizar sapatos. As meias escorregam? Substituímos por meias antiderrapantes. Os sapatos dão estabilidade ao pé? Se o bebé não tem essa estabilidade é porque ainda não está preparado para andar e é no movimento normal não condicionado que a vai adquirir.

A maioria dos bebés passa a vida a retirar os sapatos e as meias. Não acontece aí em casa? Porque será? Naturalmente em algum momento, quando a marcha está adquirida, o bebé/criança irá necessitar de sapatos. Como escolher?

Questões estéticas à parte, é fundamental que o sapato seja:- Confortável- Flexível (missão difícil de concretizar)- Justo ao pé. Coloco este ponto para descartar calçado com parte anterior muito larga como as “socas”. Não nos podemos esquecer que o sapato passa a ser a segunda pele e se estiver muito larga vai dificultar a perceção das irregularidades do terreno e provocar mais adaptações à marcha normal- Estável na região do calcanhar para que não se vá dobrando, estragando e para dar um pequeno apoio a pezinhos mais laxos.

Vamos resistir à tentação de os calçar desde pequeninos? Uma sugestão de reflexão da fisioterapeuta/osteopata Up2kidsAna Fernandes