Um ano de vitórias, conquistas e crescimento a uma velocidade alucinante!

Os bebés estão a transformar-se em crianças felizes. Mas esta é a etapa que a criança se irá abrir a um novo mundo de sensações e experiências. É a fase em que a criança irá ganhar ainda mais confiança, irá aperfeiçoar a sua forma de se deslocar através do gatinhar, rolar ou rastejar e manterá o equilíbrio, sentado e sem ajuda, enquanto agarra e explora um brinquedo. Neste período a posição quadrúpede/gatas fornece um input para a mão, alongando os tecidos moles da palma e reforçando o arco palmar preparando o padrão de preensão fina (a pinça entre o polegar e o indicador). Adquire a rotação do corpo para largar um objeto e alcançar outro e explora um brinquedo diferente em cada mão. Pelos 9/10 meses, volta a vencer a força da gravidade assumindo a posição de pé com apoio, usando os braços para trepar. Intencionalmente, atira objetos para o chão, desafiando os pais ou cuidadores e utiliza esta ação como forma de brincar. Se os brinquedos caem dentro do campo de visão, a criança procura e também poderá agachar para os apanhar. Há um aumento da ligação emocional com pessoas e objetos, tem a noção de objeto permanente, percebendo quando o pai, mãe ou cuidador saem de perto dele. Esta é uma etapa que a criança irá aperfeiçoar a sua forma de comunicar, melhorar a vocalização, imitar sons, começa a gosta de ouvir a sua voz e responde pelo nome. Será por volta dos 10/12 meses que se observa a extensão da coluna lombar na posição de sentado ou de pé. Inicia a marcha com apoio, no entanto o primeiro passo consciente pode exigir todo o esforço de concentração da criança. A motivação, que é conseguida pelas expressões dos pais, é muito importante, ajudando a criança a querer repetir o “jogo” e a aprender a caminhar sozinha e sem apoio de preferência com os pés descalços. Começa a compreender ordens simples, a dizer palavras acessíveis como “mamã” ou “papá”. Gosta muito de imitar – podendo ser uma ótima brincadeira, bate palmas e faz muitas gracinhas. Já é capaz de ver a três dimensões: vê as imagens com os contornos bem definidos, as cores vivas e os relevos tridimensionais. O mundo já não é plano, tem relevo e é bem bonito!

Desenvolvimento motor.

Fisioterapeuta – Joana Fernandes