Chegou o calor!! Brincar ao ar livre e em família é muito importante para a saúde da criança, para o seu desenvolvimento e processo de socialização. No entanto, a proteção solar é fundamental para que estas atividades sejam feitas em segurança. 

O Sol é muito importante para o nosso bem-estar e para a produção de vitamina D, porém, pode causar desidratação grave, queimaduras solares, envelhecimento precoce e culminar no cancro de pele. Todos correm risco de queimaduras solares, mas as nossas crianças são sem dúvida as mais vulneráveis. Quanto mais pequena for a criança maior o risco associado à exposição solar! A pele de um bebê é mais delicada e fina do que a de um adulto, ficando irritada e queimada com mais facilidade. Com o acréscimo de que o bebé não consegue verbalizar quando se sente a queimar e não consegue fugir do sol sem a ajuda de um adulto! Diz-se que a pele tem memória, e queimaduras solares na infância aumentam o risco de cancro de pele em idade adulta.  

Bebés com menos de 6 meses não devem ser expostos de forma direta ao sol. Devem estar sempre à sombra, com roupas leves de algodão que cubram braços e pernas e devem usar chapéus de aba larga. Deve ser colocado protetor solar nas áreas corporais que não conseguem evitar a exposição solar – rosto, dorso das mãos e dos pés. 

Como proteger as crianças do Sol?

  • A primeira linha de defesa é a evicção da exposição solar. Sempre que possível, coloque a sua criança à sombra e limite a exposição ao sol durante as horas de pico de intensidade – entre as 10h00 e 16h00.
  • Dê preferência a roupas de algodão e utilize um chapéu de aba larga que possa proteger o rosto, orelhas e nuca. 
  • Óculos de sol com proteção ultravioleta também ajudam a proteger os olhos de seus filhos. 
  • Deve utilizar protetor solar nas áreas que não se encontram protegidas por roupa. 
  • Os raios ultravioleta são refletidos pela areia, água ou neve, o que significa que, mesmo debaixo do guarda-sol na praia, a sua criança está a ser exposta aos raios ultravioleta!
  • A maioria dos raios de sol atravessam as nuvens em dias nublados de verão, mesmo com sensação térmica de frio. Use proteção solar mesmo em dias nublados!
  • Deve sempre oferecer água ao longo do dia de forma a manter a hidratação.

Como e com que frequência deve colocar o protetor solar?

  • Os protetores solares perdem a sua eficácia com a fricção com a areia, transpiração excessiva e banhos. Reaplique o protetor solar a cada duas horas ou após um banho.
  • Deve colocar protetor solar 30 minutos antes de sair de casa para garantir proteção máxima!

Que protetor solar escolher?

  • Procure as palavras “amplo espectro” no rótulo – isso significa que o protetor solar protegerá contra os raios ultravioleta B (UVB) e ultravioleta A (UVA). 
  • Devem ser preferidos os protetores solares com fator de proteção 50+ (SPF 50+), resistentes à água, e mesmo esses devem ser reaplicados!!

Existem dois tipos de protetores solares que diferem nos seus componentes e mecanismo de ação:

  • Protetores solares físicos (ou minerais): refletem a radiação ultravioleta e são considerados de largo espetro por serem eficazes nas radiações UVA e UVB. Os protetores solares minerais são os mais adequados para crianças com menos de 1 ano de idade. Tem como vantagem não causar alergias de contacto.
  • Protetores solares químicos: absorvem e retêm a radiação de forma a que esta não atinge a pele. Existem várias formulações no mercado, sendo importante escolher um protetor eficaz contra UVA e UVB. Devem ser aplicados 30 minutos antes da exposição solar para potencializar a sua eficácia. Em raros casos, podem originar alergia de contacto. Antes de aplicar, teste o protetor solar nas costas do seu filho para ver se há uma reação alérgica.  Os protetores solares químicos apenas devem ser utilizados em crianças com mais de 1 ano de idade. 

Pela médica Pediatra Andreia Ribeiro.